Fronteira da aplicação

O que é e como definir a fronteira de uma aplicação?

Para realizar uma contagem de pontos de função (PF) é necessário definir determinados contextos, dentre eles cabe identificar a fronteira da aplicação assim como qual é o tipo de contagem e qual é o seu escopo. Este, é uma das atividades que está da dentro da segunda etapa dos procedimentos de contagem e serve para identificar quais funcionalidades estão dentro da aplicação analisada ou o que pertence a outra aplicação. Qual deverá ser realizado primeiro? O escopo ou a fronteira? Tanto faz. Tanto faz definir o escopo e depois a fronteira ou vice-versa. O importante é identificar o propósito da contagem e por conseqüência o tipo de contagem a ser realizada.

Definição. A fronteira da aplicação pode ser considerada como uma interface conceitual, linha imaginária, que delimita a área de influencia da aplicação que está sendo analisada e o usuário, o mundo exterior. Se olharmos para essa linha imaginária, poderemos ver toda a funcionalidade que a aplicação recebe ou fornece a usuário. Para definir a fronteira é preciso analisar a aplicação sob a perspectiva da visão do usuário de negócio e a sua definição é independente de considerações técnicas ou da forma como a aplicação está implementada.

Atuação. A fronteira da aplicação é determinada com base na visão do usuário, está baseada no funcional como pode ou é visto pelo usuário da aplicação, não em considerações técnicas. Ela atua como uma membrana imaginária por onde os dados, processados por transações atravessam, entrando e saindo da aplicação.

Identificação. A fronteira da aplicação define quais funcionalidades devem ser consideradas como pertencente à aplicação sendo analisada e quais pertencem ao mundo externo, isto é, às outras aplicações. Outro aspecto importante, é que a fronteira da aplicação apóia a identificação de dados sob a perspectiva de quem é o proprietário dos mesmos. Se os dados são mantidos pela aplicação, então eles pertence à aplicação que os mantém e são considerados como internos. Agora, se os dados são somente utilizados pela aplicação sendo analisada para completar uma funcionalidade, isto é, são somente referenciados. Neste caso, os dados são considerados externos à aplicação sendo analisada e devem pertencer a uma outra aplicação.

Regras. Algumas regras devem ser aplicadas na identificação da fronteira da aplicação:

  • É determinada com base na visão do usuário. O foco deve estar no que o usuário pode entender e descrever;
  • A fronteira entre aplicações relacionadas está baseada somente nas áreas funcionais;
  • No caso de aplicação ser modificada, a fronteira da aplicação não é influenciada pelo escopo da contagem.

Carlos Campos 30/11/10.